Califórnia: Os dois lados do lugar mais incrível dos Estados Unidos

Share
Cresci na geração que mais curtiu a Califórnia, ouvindo Rancid, NOFX e Bad Religion. Se você é da mesma geração e não conhece essas bandas, com certeza já deve ter ouvido “Santeria” do Sublime, ou se não viveu na Lua, o Red Hot Chilli Peppers. A California sempre foi a locomotiva de uma das pontas da democracia estadunidense, pregando a diversidade cultural e a liberdade de expressão. Hoje a continua assim: Atrai gente de tudo quanto é tipo e, como o meu movimento punk, adota também todos os malucos, esquecidos e excluídos. Tem neve, praia, deserto, canyons, parques nacionais incríveis e a segunda maior indústria do cinema do mundo. Até maconha por lá já é liberada para fins medicinais – que até onde constatamos, pode se conseguir uma receita por qualquer motivo.
Nossa vista do Camping em Santa Barbara

Nossa vista do Camping em Santa Barbara

Lindo né? Mas é aí que as ambiguidades começam. O hino dos EEUU tem uma passagem que é lema de todo norte americano: “Land of the Free” (Terra da Liberdade). Estive na mesma Califórnia há 18 anos para um programa de intercâmbio e, apesar da excelente experiência, coloquei em xeque este lema. Esperava que voltando pra lá mais maduro, talvez tivesse uma opinião diferente, mas a verdade é que isso não mudou. Em nenhum país do mundo eu vi tantos regras. “Não alimente os patos”, “proibido andar de skate aqui”, “proibido pegar lenha”, “proibido tocar na mata virgem”, “obrigatório uso disso”, somente permitido se aquilo outro, etc.
El Capitán Camping

El Capitán Camping

Ok, ok, mas aí alguém me fala: “Terra da Liberdade” é uma livre interpretação de democracia, quer dizer que todo mundo pode falar e fazer o que pensa, desde que dentro da lei, pois a legislação os defende. Ok, nada contra até aí, pelo contrario! Toda a liberdade é bem vinda desde que com uma boa dose de sensibilidade. Por exemplo, se vou a um bairro na minha cidade natal e começo a parar as pessoas na rua e dizer “eu odeio o cheiro do seu cigarro” – eu apanharia em 90% das vezes. Isso resulta em muita gente cuidando da sua vida – essa é a verdade.
E falando em contradições, sentimos várias por lá:
  • Alimentação: OS EEUU são um país lindo, que oferecem uma excelente qualidade de vida e tem uma população obesa. As pessoas não cozinham em casa e comem MUITA porcaria. Por outro lado, a Califórnia é um dos estados do país que mais buscam o consumo de orgânicos e incentiva e de produtos locais.
  • Imigração: A California tem varias cidades com nomes em espanhol como San Fracisco, Los Angeles, San Diego, Santa Barbara, etc. Isso porque todo esse território era na verdade mexicano – o mesmo vizinho que hoje é um dos maiores problemas de imigração ilegal no país. Tem até plano de Senadores pra fazer um muro – isso mesmo, um muro – dividindo os dois países. Por outro lado, o espanhol é praticamente uma segunda língua nas ruas, incluindo sinalizações – o que é muito legal, pois mostra o quanto do estado já assumiu que os mexicanos que vivem ali já são mais aceitos como americanos, embora a política de imigrantes ainda seja tema de muita discussão.
  • Transporte: Um dos estados com maior preocupação com qualidade de vida e com o meio ambiente ainda vive de carros. O metrô nas cidades grandes é caro e pífio. O transporte de longa distância de trens praticamente não existe e é perigoso viajar de ônibus durante a noite. Por outro lado, o carro usado, por exemplo é vendido a preço de banana.
  • Economia: Sem falar que uma das maiores economias do mundo foram responsáveis pela maior crise financeira global dessa geração.
Depois desse contexto, um paralelo com a nossa trip: Começamos por LA e a idéia era seguir pela Highway 1 – rodovia que corta o estado pelo litoral oeste dos EEUU – até San Francisco, onde pegaríamos nosso voo pra China.
Decadência 1: Homem-Aranha gordo e de pochete

Decadência 1: Homem-Aranha gordo e de pochete

Decadência 2: Chewbacca com sarna

Decadência 2: Chewbacca com sarna

Usamos o Couchsurfing para economizar alguns dólares e alugamos o carro mais barato que conseguimos. Após os primeiros dias em LA, passamos numa loja de camping e compramos o básico: barraca, isolante térmico, saco de dormir e uns apetrechos para cozinhar. A experiência foi de cruzar o estado e acampar em beira de estrada durante 5 dias . Soa ruim? Pois a California manda bemzasso nesse sentido! Todos os campings tem banheiros limpos e com água quente, normalmente é zero burocracia pra entrar e você fica em lugares lindíssimos, cercado de árvores e praias. Entre um pico e outro, vimos todo tipo de coisa – leões marinhos, esquilos, árvores de carvalho enormes, tudo em uma rodovia perfeita que recorta a paisagem linda e pitoresca. Tudo sem lixo no chão, sem som alto e com muita cortesia. Por outro lado, isso tem um preço muito alto.
Julica passa frio em Pismo Beach

Julica passa frio em Pismo Beach

Montando camping

Montando camping

Os campings no meio da floresta

Os campings no meio das florestas de carvalho

Chegamos em São Francisco após alguns dias e devolvemos o carro. A cidade é incrível, com uma das novas sete maravilhas da humanidade: a Golden Gate, a antiga prisão de Alcatraz, o cais com piers cheios de leões marinhos, bondinhos antigos e muita diversidade cultural. Mas lá o esquemão da cidade também mudou pra mal em alguns aspectos: vimos muito morador de rua e muita gente louca andando pra cima e pra baixo. Quando falo louca, não tô falando de pessoas com cabelo laranja, tô falando de caso de internação – gente falando sozinha, cabra dançando sozinho no meio da rua… Tanta gente que perdemos a conta de quantas víamos por dia.
Isso assusta e explica o porquê dos ranking de hostels lá serem tão baixos no quesito segurança, rola uma insegurança mesmo quando saímos e voltamos tarde da rua. De qualquer forma, mais assusta e deixa uma sensação ruim, mas eles foram completamente inofensivos.
Golden Gate ao fundo

Golden Gate ao fundo

Leões Marinhos na Highway 1

Leões Marinhos

Fora os campings e hostels, também ficamos na casa de 3 pessoas: Uma prima da Julia que vive por lá, e dois outros que nos receberam pelo Couchsurfing – um em LA e outro em Oakland. A prima da Julia levou a gente pra conhecer as vinícolas em Sonoma Valley, que são lindas e menos disputadas do que em Napa Valley. Em LA ficamos na casa do cara que foi um dos responsáveis por colocar o sistema de GPS no espaço (obrigado, obrigado, obrigado), e o último, em Oakland, curte as mesmas bandas de punk que eu, e tem 3 cobras de estimação! Não tenho nem palavras para explicar a gratidão que temos por essas pessoas e pela experiência única que tivemos ao lado deles. Sem dúvida, um dos melhores lados da Califórnia – tanto que vamos contar um pouco melhor nossas experiências com eles no nosso próximo post, de dicas.

Tradicional loja de discos Amoeba na Haight-Ashbury em São Francisco

Sonoma Valley

Sonoma Valley

Red Oaks

Red Oaks no Armstrong Redwood State Reserve

Conhecemos também a hipster e metida Santa Monica, e a hippie e liberal Venice Beach. Passeamos pela galmourosa Hollywood e a underground São Francisco. Passamos dias em praias indescritíveis e dormimos no meio de parques nacionais como o Big Sur – dentro da floresta. Fizemos fogueira, cozinhamos ao céu aberto e dormimos ouvindo as ondas. Vimos a Golden Gate, casas de shows punk mais famosas do estado e dormimos com uma cobra no quarto. Encontramos os amigos do Outsiders Brasil e de São Paulo. No fim, saímos da Califórnia maravilhados com a beleza do estado, as estradas incríveis, o respeito com o consumidor e a gentileza das pessoas. Mas assustados com o alto custo de tudo (juro, foi mais caro que a Austria), a dificuldade em se locomover para longas distâncias, e as tantas proibições na terra da liberdade. A Califórnia é foda. Foda pro bom, e de foder pras ruins. Mas no final das contas, os EEUU não seria um país americano se não fosse um país de contradições, como o nosso Brasil.
Um piano da Hippie Venice

Um piano da Hippie Venice

Encontro com os amigos do Outsiders Brasil

Encontro com os amigos do Outsiders Brasil

Quer saber mais sobre a Califórnia? Veja outros posts no blog!

Dicas de Los Angeles, São Francisco e East Bay.

Dicas da Road Trip pela Highway 1.



About

O Tiago Moreira tem 34 - Nerd, ele adora punk rock, o Corinthians e a sua buldogue Mafalda. Cresceu em Tremembé, mas nasceu pro mundo. Adora lasanha e é vegetariano. Depois de 10 anos em São Paulo, decidiu arejar um pouco a cabeça e viajar!


Comments

'Califórnia: Os dois lados do lugar mais incrível dos Estados Unidos' have no comments

Be the first to comment this post!

Would you like to share your thoughts?

Your email address will not be published.

Images are for demo purposes only and are properties of their respective owners. Old Paper by ThunderThemes.net