Praça da Universidade Francisco José

Colômbia – Dicas

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

A Colômbia é um país super interessante pela diversidade – como já contamos aqui – e nem de longe as “forças” das Farcs e do narcotráfico cruzaram o nosso caminho. Neste post passamos todas as dicas do nosso trajeto, pra quem ficou com vontade de conhecer o ultimo país do nosso continente, antes de entrar para América Central:

** Bogotá

Hospedagem: Alegria’s Hostel

Encontramos ele no susto, enquanto fugíamos do hostel anterior. Por sorte, foi um lugarzinho bem acolhedor, no meio do bairro histórico da Candelária – o que já conta muitos pontos a favor da localização. O hostel tem poucos quartos, divididos entre privados e compartidos, o que ajuda a proporcionar um ambiente mais intimista, em que quase todo mundo se conhece. O prédio não é dos mais novos, mas isso acaba dando um certo charme à construção, que é simples e toda decorada com azulejos e artesanatos colombianos. Tem uma cozinha razoável, é limpo, o preço é honesto e o staff é incrível.

Nosso simpático hostel

Nosso simpático hostel

Comida: Comer na Colombia é uma das experiências top 1 no país. Como o Ti não come carne e eu estou entrando na onda, nos rendemos às empanadas e aos restaurantes de menu vegetariano e encontramos ótimas opções – recomendamos o Quinua & Amaranto, bom para comer saudável e tem empanadas incríveis com salsa de tomate apimentada! E não custa repetir: experimentamos o nosso melhor café da vida lá, o Juan Valdez. Eles são tipo o Starburcks exclusivo da Colombia (só que melhor).

Empanadas!!!

Empanadas!!!

Transporte: Não andamos ônibus em Bogotá, mas vimos que a cidade tem corredores parecidos com os de Sao Paulo pra tornar o transporte mais rápido, já que o transito também é caótico. Mas aqui vale uma recomendação para os taxis: todas as vezes que precisamos utilizar, pedimos pelo app Easy Taxi (o mesmo que tem no Brasil, só baixar a versão local), pois dizem que é mais seguro. No entanto, achamos os taxistas um pouco agressivos ao volante e um deles quis nos passar a perna cobrando mais. Tem que ficar muito esperto e, se possível, pedir ajuda no hostel/hotel para solicitar o carro.

Atrações: 1) Museu do Ouro: imperdível! Dizem que é o maior do mundo nesta categoria e, por meio de peças inacreditáveis pudemos conhecer mais das crenças e historias do povo local antes da invasão espanhola. 2) Cerro Monserrate: Esse não fomos porque não passei bem no meio do caminho, mas é o cartão postal de Bogotá. Além da vista panorâmica da cidade, também atrai muitos devotos que buscam o Santuário de Monserrat e dizem ser um lugar para inspiração e meditação, cercado de natureza! 3) Bairro da Candelária: caminhar pelo bairro em si já é uma atração fantástica pra sentir a vibe da cidade. Exploramos cafés, lojinhas de artesanato e terminamos a caminhada na praça Bolivar, a principal e mais tradicional da cidade (tipo uma praça da Sé) – além de ver o dia a dia das pessoas que caminham aos milhares, em volta estão o Palácio da Justiça, Capitólio Nacional, a Catedral e a Capela do Sagrado. 4) Circuito Universitário – ele não existe propriamente nos guias oficias, mas inventamos da nossa cabeça e adoramos. Liga a Universidade Nacional da Colombia à Universidade Francisco Jose de Caldas. No caminho, vários barzinhos com musica, praças, lojinhas e muito estudante aproveitando a vida pelo caminho.

Pracinha da Universidade Francisco Jose de Caldas

Pracinha da Universidade Francisco Jose de Caldas

Praça Bolívar

Praça Bolívar

Fim de tarde na Candelária

Fim de tarde na Candelária

** Medellin

Hospedagem: Bambu Glamping City House

Não somos fãs desses albergues de festa, por isso esse não agradou. Eles têm uma área externa incrível e um design interior bem legal, além de estarem  localizados num bairro tipo a Vila Madalena, cheio de opões pra comer, tomar um café e pagar balada. Por outro lado, os quartos são bem apertados e foi um dos hostels mais muvucados e barulhentos que ficamos, muita galera bêbada espalhada nos sofás e nas redes, além da limpeza não ser das melhores.

Transporte: Medellin é meio cidade modelo na Colombia e acho que a única com linha de metrô. Assim que chegamos na rodoviária principal, pegamos o metrô mais próximo do nosso hostel e dali um mini ônibus. Achamos fácil se locomover e não sentimos insegurança em momento algum. Além disso, a cidade tem um metrô cabo que conecta as comunidades mais carentes ao vale, e também serve de transporte para o parque Arvi. Ao contrario de muitos lugares onde isso é usado apenas como atracão turística, em Medellin realmente funciona como transporte para os moradores.

Atrações: Como passamos só uma noite na cidade, não deu tempo de conhecer muito, mas acho que vimos o mais legal, o Parque Arvi: é uma reserva natural a pouquíssimos minutos de Medellin, e chegamos de metrô cabo. Passamos o dia inteiro lá porque o lugar é lindo e enorme, tem muita opção de trilhas, lugares para comer, frutas frescas e uma atmosfera muito boa de paz. Vimos inclusive famílias que fazem pic-nique e acampam por lá.

Tarde no Parque Arví

Tarde no Parque Arví

•• Cartagena

Hospedagem: One Day Hostel

Pequenininho e localizado numa rua residencial bem fofa, foi um hostel que adoramos ficar. Dividimos o quarto com um norueguês e uma australiana que estavam na cidade para estudar espanhol e aí descobrimos que Cartagena é ponto de parada para muitos gringos que querem aprender o idioma. O hostel tem um staff bem simpático e as meninas de lá me ensinaram fazer o famoso arroz de coco colombiano. Apesar de não ficar dentro da cidade murada, está super bem localizado no bairro Getsemani, que tem uma vida musical e noturna intensa.

Comida: Achamos Cartagena um lugar caro para comer, por isso quase não fomos a restaurantes. Mas em quase todas as esquinas víamos vendedores ambulantes de frutas frescas e encontramos sorvetes artesanais deliciosos!!

Sorvete artesanal para aliviar o calor

Sorvete artesanal para aliviar o calor

...e eu toda melecada

…e eu toda melecada

Transporte: Para conhecer a parte turística de Cartagena não é preciso transporte. Tudo é tão perto que dá pra caminhar até mesmo para o aeroporto, dependendo do tamanho da sua bagagem. Lá já começamos a ver os chicken buses que fazem o transporte local para as zonas mais periféricas da cidade e os taxis também estão por todos os lados. Há ainda uma zona barqueira bem perto da cidade murada, de onde saem todos os passeios de barco paras as ilhas próximas, e os shuttles fazem o transporte por terra da turistada.

Transporte coletivo de Cartagena

Transporte coletivo de Cartagena

Experiências: 1) Cidade Murada: essa é a atração mais famosa de Cartagena. A cidade foi fundada pelos espanhóis quase na mesma época do descobrimento do Brasil e, como sofria muitos ataques de piratas, foi toda murada para proteção. Dentro dela estão várias praças e casarões centenários, além dos principais museus, igrejas, restaurantes. Ah, pra quem está afins de fazer compras (o que não é o nosso caso), há muitas lojas e boutiques do mundo todo espalhadas pela cidade, mas os precinhos são bem salgados. 2) Getsenâmi – Esse bairro foi por muito tempo foi considerado inseguro e perigoso para turistas, pois era povoado por escravos negros que chegaram para trabalhar na região. Com o passar dos anos, a vida cultural e artística intensa que esse povo levou pro local começou a ser descoberta pelos turistas e hoje o Getsemani tem se tornado dos lugares mais icônicos e buscados para festas e hospedagem. Os locais que vivem no lugar também tem um astral incrível e são quase um patrimônio da humanidade; 3) Castelo de San Felipe – Segundo a Wikpedia, é a maior obra militar espanhola no Novo Mundo. E ele é bonito mesmo de ver, principalmente dos arredores da cidade. Visto de dentro não achamos assim tão espetacular, mas por sua importância histórica teve seu valor. Ao longo do castelo existem vários labirintos e túneis subterrâneos que tinham serviam como armadilhada para os invasores, que eram surpreendidos ao entrar nessas estruturas; 4) Playa Blanca: Quando chegamos em Cartagena vimos uma infinidade de gente oferecendo tours de barco para as ilhas próximas, mas achamos um pouco caro. Além disso, já tinham me falado super bem da Playa Blanca e resolvemos usar o nosso dia livre para conhece-la. Foi a melhor coisa que fizemos!! Como ir de transporte publico é muito demorado, encontramos um local que topou nos levar pra lá por um preço razoável, acho que URD 45 os dois. Descobrimos que o cara largou a vida em Bogotá, comprou um pedacinho de terra em frente ao mar, e está montando uma hospedaria bem simples ali. Vida de Rei!! Ficamos instalados numas cadeirinhas de praia em frente ao barraquinho deles e tivemos um dia incrível!! Quem tiver mais tempo, também dá pra dormir ou acampar na praia. Imagino que não seja muito fácil encontrar opções online, mas chegando na praia dá pra escolher a cabana que mais de agradar :)

 

Chill out no mar transparente de Playa Blanca

Chill out no mar transparente de Playa Blanca

 



About

28 anos, Relações Públicas e "mãe" da Mafalda. Cresceu no interior de SP, viveu 10 anos na capital. Aprendeu a dirigir, trabalhar e se virar. Mas continuou sem gostar de comer tomate com pele, ter as unhas compridas e de ficar sozinha.


Comments

'Colômbia – Dicas' have no comments

Be the first to comment this post!

Would you like to share your thoughts?

Your email address will not be published.

Images are for demo purposes only and are properties of their respective owners. Old Paper by ThunderThemes.net